sexta-feira, 25 de abril de 2008

Liberdade?


Pergunto-me se a "Liberdade" proporcionou a esta criança aquilo que de facto se apregoou...
Pergunto-me se o 25 de Abril teria sido o mesmo se tivesse acontecido dois ou três dias mais tarde...
Pergunto-me se nós seríamos os mesmos, e se valeu a pena...

Pano para mangas...

Já aqui disse que não gosto de falar de política. Sou, ao mesmo tempo, "nova" demais, e como tal não vivi o 25 de Abril, suas consequências, seus preâmbulos, tão pouco estudei na escola porque ainda não era história...
Esta é portanto a perspectiva de alguém que se tem num determinado nível de inteligência para se questionar tudo isto. "25 de Abril sempre!" !!?? Será que se podem escamotear todas as consequências da forma como foi feita esta Revolução, à custa de quê e servindo os interesses de quem!? Povo? Mas alguém estaría de facto interessado no Povo!?

Sair à rua neste dia de cravo ao peito... será que quem coloca um cravo ao peito sabe mesmo em que resultou para milhares de pessoas a maneira como se processou esta Revolução!? Será que eu própria sei? Será que temos o distanciamento suficiente para analisarmos este facto de forma imparcial?

Perdoem-me os mais acérrimos defensores da Liberdade, que também o sou, mas não entendo, pelo menos até me explicarem de forma clara e objectiva, até me convencerem, que o 25 de Abril na imagem da revolução operada, seja apenas um sinónimo de Liberdade... porque Liberdade da forma que eu a entendo não é o mesmo que Libertinagem, Anarquia, Caos... muito menos Guerra...
E não foi assim que se viveu nos anos seguintes à Revolução? Em nome da Liberdade? ... Merecia melhor sorte esta palavra e ainda mais a essência do seu significado!

Estarão a pensar que fala uma míuda que veio das ex-Colónias e que, como tal, vê tudo sob um prisma de "colonizador" - De todo, de todo tenho essa perspectiva, mas de todo posso ignorar o que foi feito, a forma como fomos tratados, ou melhor, destratados e as consequências que tudo isso trouxe à vida de milhares e milhares de pessoas ...

25 de Abril e Descolonização são indissociáveis - qual dos dois processos foi pior conduzido? Saberiamos fazer diferente!? É incrível como aqueles que comandam, ou pelo menos que mandam, achem que os seus erros são justificáveis com os erros dos outros - na minha opinião enquanto assim acontecer não teremos rumo...

Mal comparado, lembram-me o meu filhote de 4 anos quando me diz: "mãmã, mas o Jorge também fez assim" Como quem diz, se ele fez uma asneira eu também posso, não faz mal - enfim...

Detesto Política e os interesses que a movem, sabendo porém da sua importância... enfim... palavra que às vezes me apetecia ir trabalhar neste dia, para não ter de assistir na televisão a tanta hipocrisia neste dia... aliás - nem vou ligá-la...

Opinião apenas e com espaço e disponibilidade para aprender sempre mais com quem de facto vivenciou, não esqueçamos nunca de que uma moeda tem sempre outra face...

VIVA A LIBERDADE!... sim! Quanto ao 25 de Abril...

Posted by Picasa

terça-feira, 22 de abril de 2008

Pausa


Quando a saúde nos dá o alerta... porque tudo, não mata, mas mói...

Há que saber parar, dar tempo ao tempo e...

... depois regressar...

Até...

Posted by Picasa

sábado, 19 de abril de 2008

Ironias...


A vida pode ser tão, mas tão irónica, que neste momento não sei bem se hei-de romper em pranto se em gargalhadas...

Ainda assim acredito que... Nada acontece por acaso!!

Posted by Picasa

sexta-feira, 18 de abril de 2008

O Vento...


Hoje dormi acompanhada...

Acompanhada pelo vento forte que insistentemente me batia na janela empurrando com ele a chuva... Aqui e ali ouviam-se barulhos de coisas a arrastar no silêncio da vida, na calma do burburinho Humano, que parou para ouvir a Natureza numa das suas mais violentas expressões...

A Natureza está zangada...

Ainda assim me embalou, e consegui adormecer com um último pensamento para o meu carro, estacionado ao lado de um sinal de trânsito, e a pergunta a pairar de se de manhãzinha ainda lá estariam os dois tal e qual os deixara na noite anterior... à hora em que escrevo ainda não sei...

Enquanto a chuva entoava cânticos pela batuta do vento, a minha mente foi tomada pelas asas do sonho e sonhei um sonho azul...

... azul de paz...

No meu Sonho, o vento arrastava com ele todo o lixo humano e a chuva lavava as almas daqueles que sofrem...
No meu Sonho, o meu país natal, Angola, libertava-se do que realmente o estrangula ... a ganância...
No meu Sonho, o país onde vivo, Portugal, aprendia a cuidar de si e dos seus...

No meu Sonho... eu existia e não era dor...
No meu Sonho, o que me baralha e confunde, esclarecia-se e fazia-me sorrir...

Tudo isto revolveu a minha mente como uma corrente de ar, durante o sono... acordei com dor de cabeça e a sensação de não querer acordar para poder continuar a sonhar...

Posted by Picasa

quinta-feira, 17 de abril de 2008

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Terra dos Sonhos

(...)

Na terra dos sonhos, podes ser quem tu és, ninguém te leva a mal. Na terra dos sonhos toda a gente trata a gente toda por igual. Na terra dos sonhos não há pó nas entrelinhas, ninguém se pode enganar. E abre bem os olhos, escuta bem o coração se é que queres ir para lá morar

(...)

Se queres ver o mundo inteiro à tua altura, Tens de olhar p´ra fora sem esquecer que dentro é que é o teu lugar. E se às duas por três vires que perdeste o balanço, Não penses em descanso, está ao teu alcance tens de o encontrar

(...)

Dias há em que só ... Jorge Palma...

Posted by Picasa

terça-feira, 15 de abril de 2008

VIDA


Na vida, existem momentos em que você sente tanto a falta de alguém, que somente realizaria seus sonhos envolvendo esse alguém firmemente em seus braços.

Quando uma porta de felicidade é fechada, outra é aberta; mas insistimos em olhar para a porta fechada, e não percebemos aquela que acabou de se abrir.

Não confie nas aparências; frequentemente elas são falsas.
Não se preocupe com a abundância; ela desaparecerá.
Procure alguém que se comunique com você com sorrisos; um sorriso transforma seu dia triste.

Sonhe o que quer que você queira sonhar.
Vá aonde você quiser.
Procure aquilo que deseja.

Porque sua vida é aquilo que você faz dela.

Os que têm mais sorte, inevitavelmente não conseguem o melhor dos melhores.
Eles simplesmente buscam o melhor do que vêem na sua jornada.

O mais lindo futuro sempre dependerá da necessidade de se esquecer o passado. Você não conseguirá se livrar dele se não conseguir superar os erros cometidos e tudo aquilo que te machucou.

Nunca perca a oportunidade de iluminar a vida de uma pessoa que precisa de umas poucas palavras de incentivo.

Viva a vida plenamente, e sempre sorria, apesar dos momentos de dificuldade.

A vida não se conta pelo número de vezes que você respirou, mas pelos momentos em que você perdeu a respiração.

A vida é bela !!!

** Recebido por email

Posted by Picasa

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Flor Papagaio

Recebi estas flores via e-mail e fiquei maravilhada com a beleza. Falamos tanto do exotismo das Orquídeas, que o têm é facto, mas creio ter razão se disser que esta é ainda mais exótica que a mais exótica das Orquídeas...
Achei tão LINDAS que resolvi partilhar aqui convosco!!

Diz o e-mail que :

Esta é uma flor da Tailândia. É rara- uma espécie protegida que não é permitido exportar. Ir à Tailândia, é a única maneira de se ver esta flor.


Não sei bem porquê, mas sem ter muito a ver, estas flores fizeram-me lembrar umas outras que no campo nasciam, pelo menos na minha infância, e às quais chamávamos de "Brincos de Princesa" - existirão!? Seria no campo ou nos vasos da minha avó!? :D Isto da idade tem muito que se lhe diga :D

Espero que gostem tanto quanto eu gostei, sendo uma apreciadora de flores... e de viagens :D

Posted by Picasa

sábado, 12 de abril de 2008

Diga... 33

Há 33 anos, no ano da graça de 1975, em Nova Lisboa, hoje Huambo, Angola, eis que surgia ao Mundo pelas 0H30, moi même!!


PARABÉNS para MIM!!

E esta hein!!?? Porque EU mereço!

Eu volto...

Posted by Picasa

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Nostalgia...



Era assim qu'eu me sentia
Quando antes da tua partida
Eu já sabia... que te perdia...

Foi assim qu'eu me senti
Quando às tantas dei por mim
Pensando no que viria...

É todo o meu sentimento
Quando como um tormento
Eu me alimento de ti...

É por isso que eu tento
Viver em cada momento
O tanto de ti que há em mim!!

É levantar-me a cada dia
Quando o que me apetecia
Era nunca mais acordar ...

É sonhar que um qualquer dia
Acordada eu conseguia
A tua boca voltar a beijar ...

Posted by Picasa

quarta-feira, 9 de abril de 2008

O último ano em Luanda


Terminei ontem à noite a leitura de mais este romance, baseado em factos verídicos, de Tiago Rebelo. Gosto da sua escrita e gosto de ler o que envolve algo que me é tão próximo, tão presente, tão querido - Angola!
Confesso... nem sempre as lágrimas foram contidas - sim, sou de lágrima fácil - mas, não creio, que mesmo quem não o seja, consiga ficar indiferente a determinadas passagens ...
Imaginar que aquilo que é descrito de facto aconteceu, se não exactamente como é retratado, muito perto disso - pensar que os meus se viram envolvidos, uns mais, outros menos, em todo aquele horror, pensar nos interesses políticos que se sobrepuseram de forma cruel sobre qualquer outra coisa, mas sobretudo sobre a dignidade Humana, pensar que tudo poderia ter sido diferente mas que não adianta sequer pensar nisso, pensar naqueles que apesar de tudo ficaram, ou regressaram em tempos difíceis por amor à terra, para tentar ajudá-la a crescer, a prosperar... pensar que também esses teriam tantas estórias para nos contar (seria a meu ver importante ler um relato, um romance que seja, baseado nos factos verídicos vivenciados por quem ficou além do 11 de Novembro) e pensar ainda que eu também tenho um papel a desempenhar... e que o quero desempenhar...

Já tinha gostado do "O tempo dos Amores Perfeitos", mais ainda deste "O Último ano em Luanda", talvez pela maior proximidade temporal e não só...

Deixo-vos a sinopse...


Em 1974, uma revolução em Lisboa apanha de surpresa centenas de milhares de portugueses que vivem em Angola. A partir desse dia inicia-se a derrocada imparável de uma sociedade inteira que, tal como um navio a afundar-se, está condenada à destruição e à ruína. Em escassos meses, trezentos mil portugueses são obrigados a largar tudo e a fugir, embarcando numa ponte aérea e marítima que marca o maior êxodo da história deste povo. Para trás ficam as suas casas, os carros e até os animais de estimação. Empresas, fábricas, comércio e fazendas são abandonados enquanto Luanda, a capital da jóia da coroa do império português, é abalada por uma guerra civil que alastra ao resto do território angolano. Três movimentos de libertação, cujos exércitos estavam derrotados a 25 de Abril de 1974, estão novamente activos e combatem entre eles pelo poder deixado vazio pelas Forças Armadas portuguesas. É neste cenário de total desorientação social e de insegurança generalizada que Nuno, um aventureiro que há anos atravessa os céus do sertão angolano no seu avião, Regina e o filho de ambos se movem, numa extraordinária luta para sobreviverem à violência diária, às perseguições políticas, às intrigas e traições que fazem de Luanda uma cidade desesperada. Esta é a história de coragem e abnegação de um casal surpreendido, tal como milhares de outros, num processo de degradação que se deve à recusa do Exército em defender os seus próprios compatriotas a favor de um movimento até há pouco inimigo, ao desinteresse dos políticos, à total incapacidade do governo de Lisboa para impor os termos de um acordo assinado no Alvor e constantemente violado em Angola e à intervenção militar das duas potências mundiais envolvidas numa guerra fria que é combatida por intermédio dos exércitos regionais.

Posted by Picasa

terça-feira, 8 de abril de 2008

Dream on Girl - Rita Redshoes

Aqueles que me vão conhecendo já sabem o quanto sou apreciadora de música!

Sempre atenta ao que de novo se vai fazendo, principalmente na música portuguesa, cantada, ou não, em português...

Depois de Donna Maria, eis que descubro, eu porque antes de mim muitos outros já a descobriram, Rita Redshoes, que para além de um nome artístico que considero fantástico, tem uma presença e voz incríveis...

Julguem por vós mesmos... Soube que vai estar no próximo Sábado no Coliseu com o David Fonseca...



segunda-feira, 7 de abril de 2008

Godot


Hoje acordei a pensar no Godot... tenho estado à sua espera...

Porém creio que não é esta a melhor atitude a adoptar. Não esperemos mais por Godot ... essa é apenas uma forma de nos enganarmos a nós próprios! Godot é nada, um nada que de facto existe...

"Em À Espera de Godot espera-se por nada e esse nada, é o que de facto existe. O resto, o tudo, são as palavras, as coisas e as pessoas para as quais (e de quais) elas falam. E essas são o que são. Estão lá e existem por si só. Servem para realçar o contrário. Servem para dar sentido ao medo que sentimos quando não sentimos o sentido das coisas. Servem para nos lembrar de que entre elas (e entre elas e as coisas) existe esse enorme e poderoso vazio, cheio de tudo e de nada, que desconhecemos e imaginamos, que antecipamos e receamos e que, inútil e insistentemente, procuramos compreender."

João Fiadeiro

Posted by Picasa

domingo, 6 de abril de 2008

Ney - Poema

Dificíl escolher uma música de Ney - mas hoje acordei com esta...

quinta-feira, 3 de abril de 2008

Baba


Bom, babadissíma claro está, como mãe, como qualquer mãe...

4 da manhã, o Tomás quer ir à casa de banho... assim acontece.

Regressa à cama, tapo-o, mais um beijo, mais um carinho e ... dorme bem filho...

Regressada à cama, minutos depois oiço:

Mãmã!!

Sim filho!?

Gosto muito de ti mãmã!

:D

Eu também gosto infinitos de ti filho...

Há noites Felizes!!

Posted by Picasa

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Teoria da conspiração


Foi assim que me senti por momentos, curtos mas penosos! Vítima de Teoria da Conspiração ...

Depois da minha decisão e escolha em ser Feliz, de utilizar o meu Livre Arbítrio e de o apregoar aqui, me vi envolvida em algo que não previ, não escolhi e muito menos quiz!

Acontece que não sei bem como, foi enviado um email com teor duvidoso a partir do MEU endereço de email, o mesmo que consta aqui no Blog. Pior - NÃO fui eu que o enviei! Ainda não sei bem a atitude a tomar, se bem que já enviei um email a todos os meus contactos a dar conta do que se passou e pedindo para que não abram o dito email que tem um link para um qualquer site que nem sei qual é mas... não me parece nada bem...

Por estranho que pareça, alguns dos meus contactos já me escreveram, uns a acusar a recepção do email e manifestando que obviamente que não iriam pensar que teria sido eu a enviá-lo, e outros até dizendo que não o receberam, embora eu veja que constam na lista de contactos- talvez o antivírus tenha detectado, ou algo que o valha!

Fiquei aborrecida com isto porque não gosto desta sensação de me ver dominada pelas tecnologias...

A TODOS, mais uma vez, as minhas desculpas - espero sinceramente que não tenha trazido qualquer problema a alguém...

E mais! Hoje, troquei de turno para poder ir a uma Consulta no Centro de Saúde. Sinto um cansaço fora do vulgar e penso que mais uma vez a minha hemoglobina esteja down, pois não vejo justificação para este cansaço... A esta hora que escrevo deveria estar lá...

Ligaram para dizer que a Dra não vai dar consultas e para ligar outro dia para marcar :O

Está tudo a tentar boicotar a minha escolha? Não conseguirão! :p

E para prová-lo aqui fica: O Primeiro dia - Sérgio Godinho!

OBRIGADA queridos amigos, Fernandos, Lusbelo e Júnior e também João Navarro - por terem estado presentes no GRANDE dia da minha escolha - ser FELIZ!

Posted by Picasa


terça-feira, 1 de abril de 2008

Livre Arbítrio

Eu, Delfos, Grécia/1995


Hoje é de livre arbítrio que falo, e é de livre arbítrio que uso...

A escolha criteriosa daquilo que me faz bem e a ignorância do que me faz mal... Porque havemos de perseguir sempre e buscar e rebuscar as coisas que nos trazem alguma dor ou sofrimento? Porque não, optarmos por, hoje pelo menos, deixá-las de lado?

Claro que as coisas que nos fazem mal não deixam de existir apenas porque as evitamos, porque as tentamos apagar ou reinventar... mas que nos faz sentir muito melhor o aproveitar de cada momento que nos deixa felizes também é bem verdade...

Se posso escolher, escolho SER FELIZ! E sou...

... Porque Hoje é Hoje, e hoje é tão bom...

Amanhã logo se vê... é a tal história do Sol... ;)

Posted by Picasa