sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Sonho Azul

Jorge Abrantes - Hammerfest - Noruega

Aurora Boreal


Fui encontrar-te perdido no meio do meu sonho azul
Estavas sentado olhando o rio que o atravessa
E as suas águas calmas, serenas, brilham como o Sol
Levam na corrente as palavras em jeito de promessa

Como que surpreso então por me veres olhando para ti
Ergueste a cabeça para mim e sorriste com emoção
As minhas mãos para ti, num abraço eu estendi
Quero que venhas de encontro ao meu coração

Juntos no meu sonho azul, abraçados fitando aquelas águas
Encontrámos o sentido das palavras escritas naquele rio
Não deixemos que a vida passe por nós sem dizer
Lutei, remei, rezei, busquei, tentei ... tudo para não cair no VAZIO ...

Posted by Picasa

8 comentários:

Lusbelo disse...

;-)

Cedo, muito cedo para Domingo, mas já pronto para mais um dia a lutar, remar, rezar, buscar, tentar, tentar, tentar...

Domingo feliz, matando saudades do teu grande amor... pacanino. ;-)

;-*

lampejo disse...

Bonita lição de vida...
:)
Beijinhos!

jorge disse...

...,e no cheio deste rio me deixo ir.
Razão do cheio: o teu sentir.
gindunguitos

Natacha disse...

Fernando,

... e eu aqui a esta distância, tanta ou tão pouca, torcendo, rezando, e acreditando...

Beijossssssssssssssss

lampejo,

se achas que é lição, faz como eu. Estuda-a bem e, quem sabe, breve breve poderás estar a praticar...

Jorge,

Às vezes sinto-me foz
outras vezes sinto-me nascente,
em queda d'água ou afluente...
Hoje...
... sinto que no meu leito
uma cheia está emergente...

... cheia de saudade...

Beijo

Maria Augusta disse...

Hoje o sol chegou de mansinho, e resolvi abrir as cortinas que se mantinham encerradas...tal como a força da sua luz e do seu calôr , tambem aqui recebi sopros de 'vida' de várias formas...

Saudades, muitas saudades ....e beijinhos de sempre cheios de carinho

Augustinha

Natacha disse...

Mana LINDA Augustinha

temos de matar estas saudades ;))

Como gosto de a ver por aqui, onde as cortinas não existem...

beijos imensos

Mprado. disse...

Inspirado nessa terra sedenta por chuva eu escrevi.

Tarde cinzenta…

Nuvens cinzentas são anúncio de que haverá alteração climática, será um tempo de turbulências sobre meu universo, é o prenúncio de uma chuva a cair sobre uma terra sedenta por uma água viva que lhe faça sentir o gosto de ser refrigerada e molhada, assim sendo, essa terra poderá deixar exalar o aroma de terra saciada e satisfeita por ser possuída e penetrada pela leveza ou até mesmo furor de uma chuva que cai sobre ela de forma livre e descontrolada, apenas conduzida pelo Deus que a faz viva e deliciosa.

Assim é o acinzentar de uma tarde para meu corpo que se faz terra, que se coloca ao ar livre como a terra que deseja ser molhada e penetrada pela água da chuva.

Assim meu corpo se mostra pronto a exalar um aroma de pele molhada por um líquido que o penetra livremente, ou até mesmo bruscamente movido pelo fervor de uma força chamada amor.

Chuva de amor é o prenúncio de uma tarde cinzenta.

Natacha disse...

Obrigada, Mprado, pela partilha :)

este blog está encerrado mas continuo sempre a responder a quem me vai deixando uma palavra :)